27 de fev de 2009

Um caso do acaso

como qm não qr nada
foi pegando tudo
como aquilo q não se esperava
fiquei perplexo, mudo
mas não deixei me atingir
e meu escudo me protegeu?
atuo, sei fingir
não tenho certeza se mexeu
como qm não queria ser
acabei ficando
fikei sem saber
estão me perguntando
agora ja foi, não sei
devia responder?
não é assim, eu sei
qro me compensar entender
alem d mim não ha mais nada
longe d ser fora de si
abismo incluso na ressaca
não mais viver e sim resistir
qm nunca desejou felicidade?
qm nunca vagou pela cidade?
qm nunca pagou pela falsidade?
qm nunca chorou a realidade?
desejo seu bem porque
me fez bem t ter por hora
realiza pra mim o que
nunca fora realizado agora
burrice deixar rastros
insanidade da minha parte
nunca houveram laços
simplesmente um pequeno abate
intão vai, me rasga
me deixe apenas com o q pensar
intão vai, ultrapassa
eu fiz d novo, não pude evitar...

(Jozzelito)

Nenhum comentário: